2011 foi o nono ano mais quente já registrado pela Nasa

Vídeo no site da Nasa mostra a variação de temperatura desde que os registros começaram a ser feitos, em 1880 (Foto: NASA Goddard Institute for Space Studies. Visualization credit: NASA Goddard Space Flight Center Scientific Visualization Studio)

 

Vídeo no site da Nasa mostra a variação de temperatura desde que os registros começaram a ser feitos, em 1880 (Foto: NASA Goddard Institute for Space Studies. Visualization credit: NASA Goddard Space Flight Center Scientific Visualization Studio)

A média de temperatura de 2011 foi a nona mais quente já registrada, de acordo com cientistas da Nasa. Os registros de temperatura começaram a ser realizados em 1880. A descoberta mantém a tendência de aumento de temperatura nos últimos anos. Nove entre os dez anos mais quentes já registrados ocorreram desde 2000.

O valor médio registrado em 2011 foi 0,51ºC mais quente que a temperatura base de meados do século 20. “A comparação mostra que a Terra continua a experimentar temperaturas mais quentes que em décadas passadas”, disseram pesquisadores do Goddard Institute for Space Studies (GISS), da Nasa, em comunicado.

Segundo a agência, o aumento de temperatura é largamente provocado pelo aumento de concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera, especialmente dióxido de carbono. O gás é emitido por diversas atividades humanas, como usinas termoelétricas e veículos movidos a combustíveis fósseis, como gasolina.

Os níveis atuais de dióxido de carbono na atmosfera excedem 390 partes por milhão (ppm). Em 1880, a concentração era de 285 ppm; em 1960, de 315 ppm, segundo a Nasa.

Registros de temperatura
O ano mais quente já registrado foi 2010, com uma média de temperatura 0,12ºC maior que 2011. O único ano que não faz parte do século 21 e que esteve entre os dez mais quentes já registrados foi 1998.

“Isso sublinha a ênfase que os cientistas colocam na tendência de aumento da temperatura a longo prazo (…) Eles não esperam que as temperaturas aumentem consistentemente ano após ano, mas esperam um aumento contínuo ao longo das décadas”, afirma o comunicado da Nasa.

As elevadas temperaturas ocorrem apesar dos efeitos de resfriamento provocados por uma influência maior do La Nina e por uma atividade solar mais baixa, verificada nos últimos anos, de acordo com o diretor do GISS, James Hansen. Ele têm feito campanha contra as mudanças climáticas provocadas pelo homem.

Para produzir as análises de temperatura, o GISS coleta dados de mais de mil estações meteorológicas espalhadas pelo mundo, observações de satélite da superfície do mar e estações de pesquisa na Antártida.

Fonte: G1

 

Print Friendly, PDF & Email