Rio prevê museu sobre sustentabilidade e tecnologia para 2014

Foi lançado no dia 21/06, no Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã, que ficará na região portuária do Rio e contará com projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Fonte : OT NEWS

O prédio do Museu do Amanhã, que ocupará uma área de 15 mil metros quadrados no Píer Mauá, zona portuária do Rio, começou a ser construído nesta terça-feira. O empreendimento faz parte do projeto Porto Maravilha, de revitalização da região. A inauguração do prédio está prevista para o primeiro semestre de 2014.

Presente na cerimônia de início das obras, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) comemorou o fato de o museu, orçado em R$ 215 milhões, não precisar de dinheiro público.

“Desde o início ia ser dinheiro da prefeitura, mas conseguimos uma parceria público-privada (PPP). Não vai ter um tostão de dinheiro público para financiar essa obra, e ainda temos a garantia de manutenção do local até 2023”, disse o prefeito.

As obras são custeadas pela concessionária Porto Novo, pela venda dos CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção) e através de patrocínio do banco Santander.

Paes ainda assegurou que o museu não será uma nova Cidade da Música, complexo cultural construído na Barra da Tijuca, zona oeste da Cidade, que custou mais de R$ 500 milhões aos cofres públicos e que está abandonado, com as obras incompletas.

“Não há perigo nenhum [disso acontecer]”, afirmou.

O espaço abordará temas como sustentabilidade e tecnologia. O projeto prevê a utilização de recursos naturais, como a água da baía de Guanabara e a captação da energia solar.

“As pessoas ainda não têm ideia do que está acontecendo aqui. Elas percebem mais os transtornos no trânsito, o que, infelizmente, teremos que conviver pelos próximos quatro ou cinco anos. Mas já furamos três túneis”, afirmou Paes.

“Esse aqui será, certamente, um enorme diferencial para o Rio, comparado a grandes monumentos como o Sambódromo, os Arcos da Lapa e o Cristo Redentor. Estamos anunciando uma transformação”, acrescentou.

Fonte : FOLHA _ Luiza Souto_ do Rio

Print Friendly, PDF & Email