Os segredos por trás da foto mais famosa do planeta Terra

O nome da foto acima é Blue Marble. É a imagem mais precisa e com maior resolução já tirada da Terra — até criarem a próxima geração da Blue Marble. Trata-se da mais famosa delas, já que ela é a imagem padrão do iPhone. Agora seu criador revelou todos os seus segredos.

Diferente da foto tirada pelo Apollo 17 e que mostra toda a Terra, a Blue Marble da NASA não é uma fotografia real. É uma composição criada com várias imagens. Uma representação sintética, mas precisa e incrivelmente límpida de nossa casa, criada por Robert Simmon:

“Uma das melhores surpresas da minha vida foi ligar meu iPhone recém tirado da caixa e ver a imagem que eu fiz na tela. A Apple escolheu o Blue Marble como imagem padrão do fundo de tela, e eu não fazia ideia disso.”

Simmon criou a imagem usando um mapa de 43.200 por 21.600 pixels da Terra, unidos por Reto Stöckli. Stöckli usou cerca de 10 mil imagens de satélite de 300 megabytes capturadas pelo satélite Terra durante um período de 100 dias. (Na época, o satélite Terra era o mais avançado sistema de monitoramento terrestre da NASA). Ele removeu todas as nuvens e deixou a imagem gigantesca e limpa. Depois, Simmon entrou na história e adicionou alguns detalhes: “para deixar a Terra mais realística, ou pelo menos do jeito que nós imaginamos que ela é, eu precisava trabalhar bastante.”

Ele usou as informações da NASA sobre os níveis de clorofila nos oceanos — que é “uma forma de monitorar o fitoplâncton — e fez a textura da água da Terra assim. Ao mesmo tempo, ele adicionou o gelo à textura base, criando a imagem acima.

Depois ele criou um “mapa de nuvens juntando cenas de 200 satélites” e também um mapa topográfico para adicionar elevação nas massas de terra. Ele colocou todas as texturas no Electric Image, um software 3D clássico de Mac que era popular na época, e a mágica começou a tomar forma. (Bônus ultra-hiper-nerd: o Electric Image foi usado por John Knoll, da Industrial Light & Magic, para criar cenas de batalha espacial na trilogia original de Star Wars.)

Aqui ele colocou o mapa em uma esfera, e renderizou imagens separadas de tudo: “terra e oceano, realce especular, nuvens, algumas márcaras de dia/noite, e neblina atmosférica”.

Finalmente, ele jogou as imagens no Photoshop e as combinou por horas e horas, “corrigindo e recorrigindo transparência, máscara de layers, matiz, saturação, cor e curvas para criar a imagem que eu imaginei na minha cabeça”. O resultado final é lindo. Uma bela e deliciosa mentira. [Earth Observatory][0

Fonte : GizModo_  Jesus Diaz

Print Friendly, PDF & Email