Mundo deve dobrar investimentos em tecnologia limpa, afirma estudo

O investimento global em tecnologias limpas, que impactem menos na mudança climática, teria que sair dos atuais US$ 250 bilhões, último dado de 2010, para US$ 500 bilhões por ano até 2020, segundo relatório divulgado nesta quinta-feira (1) pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) em conjunto com a Agência Internacional de Energia (AIE).

De acordo com as instituições, que publicaram um documento abordando o crescimento sustentável, esta seria uma das condições para limitar o aquecimento global a um nível considerado aceitável, de 2 ºC até o final do século. A divulgação do estudo coincide com a realização da Cúpula Climática da Organização das Nações Unidas (ONU) que acontece desde a última segunda-feira (28) em Durban, na África do Sul.

Um planejamento voltado a políticas verdes deve ser realizado nos próximos anos, caso contrário, para cada dólar aplicado no setor de energia até 2020, deverão ser gastos outros US$ 4,3 para compensar o aumento de emissões de gases de efeito estufa e assim manter a mudança climática em margens gerenciáveis.

“Se falharmos para lidar com o crescimento das taxas anuais de emissões, vamos chegar a um limite crítico em 2017, o que significa que para mantermos o limite de aumento da temperatura global, todas as novas infraestruturas deverão ter nível zero de emissão”, disse a diretora-executiva da AIE, Marie van der Hoeven.

Menos carbono
Tanto a OCDE quanto a AIE estimam que uma reforma no setor, com melhoria da eficiência energética, o desenvolvimento da captura e armazenamento de carbono ou a ampliação do uso de energias renováveis, custaria 46 bilhões de euros até 2050.

No início de novembro, a Agência Internacional de Energia apontou que a demanda mundial por consumo de energia deve aumentar em um terço nos próximos 25 anos.

Porém, caso este crescimento aconteça com uso intenso de combustíveis fósseis, as emissões de CO2 aumentariam em 20% e a temperatura global poderia aumentar em 3,5ºC acima dos níveis pré-industriais.

Fonte: G1 Natureza

Investimentos em tecnologias limpas, principalmente para geração de energia, devem ser maiores. É o que alerta a Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a Agência Internacional de Energia (AIE) (Foto: Eduardo Carvalho/Globo Natureza)

Investimentos em tecnologias limpas, principalmente para geração de energia, devem ser maiores. É o que alerta a Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a Agência Internacional de Energia (AIE) (Foto: Eduardo Carvalho/Globo Natureza)

Print Friendly, PDF & Email