Fundo Amazônia aprova projeto do IPAM que irá beneficiar mais de 2.700 famílias de assentados no Pará

O projeto “Assentamentos Sustentáveis na Amazônia: O Desafio da Transição da Produção Familiar de Fronteira para uma Economia de Baixo Carbono”, coordenado pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) em parceria com a Fundação Viver, Produzir e Preservar (FVPP), foi aprovado pelo Fundo Amazônia(*) no dia 6 de dezembro de 2011.  Com prazo de duração de cinco anos, esse será o primeiro projeto do Fundo voltado especificamente a ações desenvolvidas em  assentamentos do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (INCRA).

O projeto tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento, em parceria com o INCRA, de uma política de assentamentos sustentáveis na Amazônia, através da consolidação de experiências demonstrativas de produção sustentável, associada a redução do desmatamento, abrangendo  mais de  2.700 famílias em dez assentamentos no Oeste do Pará, totalizando uma área aproximada de 260 mil hectares.
Os assentamentos são localizados em municípios do entorno das rodovias BR 230 – Transamazônica (Anapu, Senador José Porfírio, Pacajá) e BR163 – Cuiabá-Santarém (Aveiro) e na região do Baixo Amazonas (Mojuí dos Campos e Santarém). Também está prevista a implantação de um mecanismo piloto para pagamento pelos serviços ambientais para 350 destas famílias que fizeram parte do programa federal Pro Ambiente.

Desmatamento Evitado

A transformação da base produtiva rural na Amazônia, cuja lógica atual é de baixa rentabilidade e de altas emissões de gases de efeito estufa, para uma economia de baixo carbono capaz de manter os estoques de carbono florestal nos assentamentos enquanto promove progressos socioambientais na região caracteriza esse projeto de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação florestal (REDD+*).  

Segundo Osvaldo Stella, diretor do Programa de Mudanças Climáticas do IPAM e coordenador geral do projeto, “a redução de emissões por desmatamento será resultante de uma estratégia que contempla o manejo sustentável dos recursos naturais, a melhoria da produtividade agropecuária nas áreas abertas e a agregação de valor nas cadeias produtivas. Esta abordagem, que poderá ser replicada para as mais de 600 mil famílias de assentados espalhadas por toda a Amazônia, tem como objetivo final a melhoria da qualidade de vida, o aumento na renda das famílias e a garantia de segurança alimentar da produção local.”

(*)O Fundo Amazônia é um fundo privado de iniciativa brasileira, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que tem como principal objetivo reduzir as emissões brasileiras provenientes de desmatamento, por meio da promoção da conservação e do uso sustentável no bioma amazônico.  http://www.fundoamazonia.gov.br

Fonte: Instituto Carbono Brasil

Com a adoção de melhores práticas produtivas em áreas abertas, projeto de REDD+ vai reduzir a pressão sobre a floresta, aumentar a geração de renda e garantir segurança alimentar da produção local em assentamentos rurais na Amazônia || Imagem: Visita da equipe do BNDES a uma das propriedades que serão beneficiadas pelo projeto / IPAM

Com a adoção de melhores práticas produtivas em áreas abertas, projeto de REDD+ vai reduzir a pressão sobre a floresta, aumentar a geração de renda e garantir segurança alimentar da produção local em assentamentos rurais na Amazônia || Imagem: Visita da equipe do BNDES a uma das propriedades que serão beneficiadas pelo projeto / IPAM

Print Friendly, PDF & Email