Expedição Tapajós revela fauna ameaçada por hidrelétrica

Os cientistas da Amazônia estão numa corrida contra o tempo: conhecer as espécies em seus habitats naturais antes que eles sejam transformados pela chegada das hidrelétricas nos rios da região.

No maravilhoso rio Tapajós, formado da confluência dos rios Juruena e Teles Pires não é diferente. Ali está em processo de licenciamento a usina de São Luiz do Tapajós, com capacidade de geração de cerca de 6,1 mil MW.

Entre os dias dias 19 de setembro e 9 de outubro, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais (Cepta), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizou uma expedição bem nas corredeiras São Luiz do Tapajós, próximo a Itaituba, estado do Pará. Ali está o maior mosaico de unidades de conservação da Amazônia. A expedição fez o primeiro levantamento dos peixes e seus parasitas na região.

A diversidade da ictiofauna é incrível: foram capturadas e identificadas 160 espécies. Mas o total deve passar de 250 espécies já que muitas foram levadas para identificação posterior .

O fotógrafo da expedição Leonardo Milano e o ICMBIO gentilmente cederam estas fotos coletadas durante o trabalho dos pesquisadores.

Fonte: O Eco


Expedição Tapajós revela fauna ameaçada por hidrelétrica Expedição do Instituto Chico Mendes fez o mais amplo levantamento já realizado na região do maior mosaico de unidade de conservação da Amazônia e onde se pretende construir nova hidrelétrica. Fonte: O Eco

Expedição Tapajós revela fauna ameaçada por hidrelétrica Expedição do Instituto Chico Mendes fez o mais amplo levantamento já realizado na região do maior mosaico de unidade de conservação da Amazônia e onde se pretende construir nova hidrelétrica. Fonte: O Eco

Print Friendly, PDF & Email