Desmatamento da Amazônia cresce 72% em Mato Grosso neste ano, aponta Deter

A taxa anual de desmate é calculada por outro sistema, o Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), que é mais preciso, por avaliar áreas menores. Apesar da metodologia diferente, a avaliação do Deter costuma antecipar os resultados do Prodes.Fonte : PENSE VERDE

O desmatamento na Amazônia caiu 43% em setembro comparado com o mesmo mês do ano passado. Os dados são do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e foram divulgados nesta segunda-feira pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

No acumulado de janeiro a setembro, o Deter viu empate técnico em relação ao mesmo período do ano anterior: 1.835 km2 em 2011 contra 1.862 km2 em 2010, uma queda de 1,5%.

Porém, no balanço anual, os índices são alarmantes para Mato Grosso. O Estado, junto com Rondônia foram os únicos que mostraram uma elevação no desmate de janeiro a outubro. No caso matogrossense, o crescimento do desmatamento é de 72%.

Segundo o sistema Deter, que detecta desmatamento em tempo real usando satélites, a devastação na região amazônica em setembro foi de 254 hectares, contra 448 hectares em 2010.

Os índices de setembro foram comemorados pelo Ministério do Meio Ambiente. “É o menor [desmate em] setembro da história”, disse a ministra, em alusão ao início da série de dados do Deter, em 2004. “Não tivemos um setembro negro, tivemos um setembro verde.”

A alta reflete a disparada no período de abril a maio, quando a perspectiva de uma anistia induzida pelo debate do Código Florestal na Câmara dos Deputados, aliada a uma lei de zoneamento benevolente em Mato Grosso, animou o setor produtivo a desflorestar.

Fonte : FOLHA _ online

Print Friendly, PDF & Email