Aumento de biocombustíveis nefasto para florestas

Relatório defende substituição de petróleo e carvão por combustíveis obtidos da madeira, cana-de-açúcar ou algas.

Um relatório que vai ser divulgado esta quinta-feira pela organização ambientalista internacional WWF alerta para as consequências do aumento da produção de biocombustíveis, que poderá levar à destruição das florestas naturais para produzir as matérias-primas dos combustíveis.

O relatório Florestas Vivas, citado pela Lusa, adverte que, «na ausência de salvaguardas consistentes, a crescente procura de bioenergia poderá desencadear uma exploração insustentável das florestas naturais e a expansão das culturas bioenergéticas e de plantações de rápido crescimento substituindo a produção de alimentos ou pastagens e florestas».

O recurso a combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão deve ser substituído por combustíveis obtidos da madeira, cana-de-açúcar ou algas, defendem os autores do estudo.

Contudo, «faremos mais mal do que bem se apenas adicionarmos bioenergia à oferta energética atual», considera o coordenador de Bioenergia da WWF Internacional, László Máthé.

O recurso a energias renováveis, como as que são obtidas a partir da luz solar e do vento, como principal fonte de electricidade, e a diminuição do consumo de electricidade, com a melhoria da eficiência energética dos edifícios e dos sistemas de transportes, são apontadas como as soluções para enfrentar a situação.

A questão das bioenergias coloca-se por disputar as mesmas terras com a agricultura tradicional, o que poderá colocar em causa a sobrevivência de populações de regiões mais pobres.

Nesta perspectiva, é importante que se consiga uma maior eficiência na agricultura, tanto para diminuir as áreas semeadas como as quantidades de água consumidas, sem as quais os preços dos alimentos podem atingir preços elevados e tornar vulneráveis populações mais desfavorecidas.

«Este relatório reforça a mensagem de que a bioenergia não é necessariamente boa ou má», disse Lásloz Máthé.

«Em condições ideais, pode ajudar a mitigar a mudança climática e tornar a segurança energética uma realidade para mais pessoas em todo o mundo. No entanto, nas condições erradas, ela coloca um stress ainda maior sobre os já sobrecarregados recursos do nosso planeta», acrescenta o responsável.

Fonte : TVI 24

Print Friendly, PDF & Email