Amazônia perde em outubro área igual a 240 ‘Ibirapueras’, diz Inpe

O desmatamento na Amazônia Legal aumentou 52% no mês de outubro em relação a setembro deste ano, segundo dados divulgados nesta terça-feira (29) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), sediado em São José dos Campos (SP).

De acordo com levantamento, realizado pelo sistema de detecção do desmatamento em tempo real, o Deter, que utiliza imagens de satélite para visualizar a perda de vegetação no bioma, em outubro deste ano uma área de 385,56 km² de floresta foi derrubada, equivalente a 240 vezes o tamanho do Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Em setembro, perdeu-se 253,8 km² de floresta.

Comparado ao mesmo período do ano passado, o ritmo de degradação na Amazônia praticamente não se alterou, registrando uma leve queda. Segundo o Deter, no mesmo mês de 2010 o desmate foi de  388,86 km².

Estados
Segundo o Inpe, pela primeira vez no ano o estado de Rondônia aparece como a região que mais desmatou a floresta, com 128,59 km², área equivalente a sete vezes o tamanho da Ilha de Fernando de Noronha, localizada em Pernambuco.

Atrás de Rondônia vem o Pará, responsável por derrubar 119,39 km² de floresta, seguido do Mato Grosso, com 98,08 km². O estado do Amazonas aparece na quarta posição, com o desmate de 18,93 km². Em outubro, os satélites não conseguiram visualizar 17% da região de floresta devido à alta densidade de nuvens.

De janeiro a outubro deste ano, a floresta amazônica perdeu uma área de 2.221 km² de floresta, quase duas vezes o tamanho da cidade do Rio de Janeiro.

Fonte: G1

Desmatamento e queimada registrados no Sul do estado do Amazonas. Sistema de medição do Inpe detectou devastação de 385 km² em outubro de 2011. Já o estado foi resposável por derrubar cerca de 19 km² de floresta (Foto: Divulgação/Greenpeace/Marizilda Cruppe/EVE )

Desmatamento e queimada registrados no Sul do estado do Amazonas. Sistema de medição do Inpe detectou devastação de 385 km² em outubro de 2011. Já o estado foi resposável por derrubar cerca de 19 km² de floresta (Foto: Divulgação/Greenpeace/Marizilda Cruppe/EVE )

Print Friendly, PDF & Email