A ‘máquina’ mulher

Para que não fique desregulado com as alterações hormonais, o corpo feminino precisa dos nutrientes corretos em cada fase da vida, através da alimentação

Rio – O corpo da mulher  é temperamental: da juventude até a menopausa, passa por inúmeras transformações. Como uma máquina, de vez em quando “desregula” — as chamadas alterações hormonais. E aí vêm as dores, as mudanças repentinas de humor e até a famosa TPM (tensão pré-menstrual). Segundo especialistas, o segredo para que esse sistema operacional funcione corretamente é simples: manter uma alimentação adequada para cada etapa da vida.

“As mulheres  que seguem dietas corretas para suas faixas etárias sofrem menos com as alterações do organismo. Isso vale para todas. Escolher os alimentos certos minimiza os impactos das alterações hormonais e até do envelhecimento”, afirma a nutricionista da Clínica Dicorp, Marina Capella.

Segundo a profissional, a preocupação com a alimentação deve ser ainda maior em duas fases da vida: gestação e menopausa. “Na gravidez, a mulher precisa se preocupar não só com os nutrientes que ela precisa, mas também com o desenvolvimento do bebê. Por isso, é muito importante que invista em alimentos ricos em ferro, cálcio, vitamina C e fibras, até porque ela pode sofrer de prisão de ventre nessa fase”, afirma.

Marina ressalta que, durante a menopausa, é fundamental manter os ossos fortes — já que a interrupção do hormônio estrogênio reduz a absorção do cálcio e aumenta o risco da osteoporose. Derivados de leite combinados à vitamina D (que ajuda a absorver o nutriente) não podem faltar no cardápio.

“O magnésio também contribui nesse processo. É bom incluir grão-de-bico nas refeições nessa fase”, orienta ela.

Carboidratos inteligentes

Para mulheres de 20 a 35 anos, o ideal é investir em alimentos que sejam fontes de energia. “É uma fase em que a mulher á ativa, faz mais exercícios, tem uma vida profissional conturbada. Mas ela deve escolher carboidratos ‘inteligentes’, como pão e arroz integrais”, orienta Marina.

Dos 35 aos 50 anos, é preciso cautela: como o ritmo do metabolismo diminui, a tendência é engordar. “O restaurante a quilo é bom para quem está de dieta, desde que a mulher passe longe de frituras. É preciso investir em saladas”.

Fonte :  CLARISSA MELLO_ O DIA

Print Friendly, PDF & Email